4 USOS FASCINANTES DA TECNOLOGIA NA INDÚSTRIA DE CANNABIS



4 USOS FASCINANTES DA TECNOLOGIA NA INDÚSTRIA DE CANNABIS

4 USOS FASCINANTES DA TECNOLOGIA NA INDÚSTRIA DE CANNABIS
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

A tecnologia mudou a forma como vivemos, trabalhamos e brincamos - e até como consumimos cannabis. Das tecnologias avançadas de extração à realidade virtual no local de trabalho, a tecnologia impacta a cannabis a partir do momento em que é colocada no solo até que ela saia dos pulmões em uma expiração satisfatória. Aqui está um olhar mais atento a quatro dos usos mais atraentes, impactantes e inovadores da tecnologia no setor de cannabis até hoje.

1. Realidade Virtual e Realidade Aumentada
Quando se trata de realidade virtual e aumentada, tendemos a pensar primeiro no seu papel no entretenimento e nos jogos, mas o seu impacto potencial estende-se até onde a cannabis cresce em sites e espaços de retalho. A realidade virtual (VR) refere-se à imersão total em um mundo virtual, enquanto a realidade aumentada (AR) se refere à imersão parcial, como quando seu telefone ou dispositivo cria conteúdo dentro do mundo real (pense em Pokémon GO).

O WeedVR, por exemplo, leva você a um dispensário virtual, onde você pode olhar, inspecionar e até mesmo fumar com seus amigos favoritos em um cyber lounge. Há até funcionalidade para fazer compras virtuais de varejistas parceiros.

Outro exemplo é o Huxley, um sistema operacional de realidade aumentada e inteligência artificial (IA) e plataforma para o cultivo de cannabis. Usando um dispositivo passivamente aumentado (um fone de ouvido), esse sistema de crescimento inteligente constrói dados em torno de milhares de frutas, vegetais e plantas de cannabis.

É difícil trabalhar em uma colheita enquanto olha para o seu telefone, que é o que os aplicativos de crescimento mais tradicionais exigem. Essa tecnologia dá aos novos agricultores um conjunto biônico de olhos “livres de mãos-livres” para que eles possam se sobressair ao crescer sem serem mestres. Aumentar a eficiência do produtor, juntamente com a construção de um conjunto de dados global, soa como uma receita para o sucesso massivo.

2. Blocos de Bitcoin e Semente para Venda
Bitcoin e blockchains são sistemas financeiros digitais que usam protocolo criptograficamente seguro, descentralizado, código-fonte aberto, ponto-a-ponto (P2P). Tradução: você pode enviar dinheiro para qualquer dispositivo, em qualquer lugar do mundo, sem um banco no meio. Pense desta maneira: se o bitcoin é o trem (ou embarcação), um blockchain é o trilho do trem (ou código subjacente) no qual o trem viaja.

Esses ativos digitais podem ser trocados, comprados e vendidos com uma variedade de ativos comumente usados, incluindo outras moedas criptografadas, moeda fiduciária (por exemplo, USD), metais preciosos e até propriedades (como uma casa).

Todos nós sabemos que o setor bancário é difícil no setor de cannabis, e o bitcoin reduz muito o atrito e o custo de transferência de pagamentos em comparação com os sistemas tradicionais. Ele elimina os estornos e o dobro de gastos porque funciona como dinheiro digital e débito unidirecional irreversível. É também uma robusta reserva de valor (ouro digital) com ganhos de + 1000% somente em 2017.

A tecnologia blockchain é boa para mais do que apenas dinheiro: recentemente, a IBM divulgou um relatório detalhando sua utilidade no rastreamento de cannabis desde a semente até a venda. Ele permite um ledger descentralizado que rastreia a propriedade digital ao longo da cadeia de suprimentos, o que permite a verificação sem comprometer a segurança.

3. Impressão 3D
Em vez de jogar MacGyver com materiais caseiros, por que não utilizar a tecnologia de impressão 3D? A impressão 3D normalmente faz uso de plástico ABS ou PLA derretido para moldar formas - como bongos e pedaços de tigela - por meio de um elemento de aquecimento e extrusora.

Esta tecnologia coloca os meios de produção nas mãos de pequenos jogadores e entusiastas do DIY. Agora, qualquer pessoa equipada com uma impressora 3D pode projetar ferramentas de cannabis e outras criações livremente, limitadas apenas pelo teto da imaginação.

Empresas como a Printabowl oferecem uma infinidade de opções para impressão de materiais, designs e outras ferramentas para ajudar a dar vida aos seus produtos. Eles até aceitam o bitcoin para pagar suas criações impressas - o futuro é agora!

E depois há o Noochi, o primeiro vaporizador de porcelana impresso em 3D da Imminent Dawning. Seu objetivo é simplificar a aromaterapia e criar um elemento de design decorativo, porque eles acreditam que muitos dispositivos no mercado são muito complicados.

O advento da impressão 3D criou um renascimento para os criativos, introduzindo um novo meio de produção e lançando um movimento de fabricantes.

4. Nova Ciência de Extração Concentrada
Concentrados de cannabis fornecem um exemplo fascinante de novas metodologias de extração de plantas que combinam a ciência testada pelo tempo e as habilidades de artesanato. O processo de extração envolve a remoção de óleos, ceras e outros compostos da planta por meios mecânicos ou químicos. Métodos mecânicos de extração normalmente dependem de temperaturas, quentes ou frias, enquanto abordagens químicas usam solventes como o butano ou CO2.

Butano e propano são exemplos de extrações químicas usando hidrocarbonetos, que passam rapidamente através da matéria vegetal, bem como filtros e telas em um ambiente de baixa pressão. Os hidrocarbonetos residuais são então purgados num passo de pós-processamento.

O CO2, um solvente não inflamável, aproveita a temperatura e a alta pressão ao longo de um período de tempo mais longo. Este método é considerado mais seguro, mas requer equipamentos mais caros. Com equipamento avançado, também é possível separar ceras de parafina indesejáveis.

No lado mecânico, a resina é um método livre de solvente que comprime a flor com uma prensa térmica, resultando em uma potente cera de seiva aclamada para manter o sabor e os perfis de terpeno. A resina usa apenas calor e pressão para criar extratos. Prensas vão desde simples "alisadores de cabelo" até máquinas pneumáticas que esmagam botões usando 20.000 libras de pressão.

Mesmo no espaço da cannabis, é claro que a tecnologia tornou uma coisa constante: mudança. 

Fonte: Leafly