COMO A INDÚSTRIA DE CANNABIS ESTÁ REDEFININDO O GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS



COMO A INDÚSTRIA DE CANNABIS ESTÁ REDEFININDO O GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

COMO A INDÚSTRIA DE CANNABIS ESTÁ REDEFININDO O GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Os veteranos de atacado e varejo sabem que dominar a cadeia de suprimentos é a chave para atender às expectativas dos clientes. No entanto, também pode ser uma das maiores dores de cabeça operacionais. E se você pudesse começar do zero, otimizando a cadeia de suprimentos com novas tecnologias construídas com o único propósito de eficiência? É exatamente o que está acontecendo na indústria da cannabis hoje.

O crescimento explosivo deste espaço em tão pouco tempo criou a necessidade de uma nova era de gerenciamento da cadeia de fornecimento para ajudar as operadoras a se adaptarem a novas regulamentações, modelos de distribuição e outras questões relacionadas a uma indústria altamente regulada, mas próspera.

Tivemos a oportunidade única de testemunhar e contribuir para o desenvolvimento da enorme e nova cadeia de fornecimento de cannabis. As inovações que estão sendo feitas para agilizar o processo do início ao fim geram a seguinte questão: a indústria da cannabis servirá de modelo para futuras inovações na gestão da cadeia de suprimentos?

Capacitando os varejistas para administrar um volume muito alto
Os varejistas de cannabis têm que enfrentar o desafio único de ir de zero a 100 em questão de dias. As vendas no varejo este ano estão projetadas em US$ 9 bilhões, com um crescimento esperado para US$ 22 bilhões até 2022. Esse volume sem precedentes é difícil para os varejistas se prepararem.

Os gerentes de compras de varejo estão gastando até um dia inteiro por semana em pedidos por atacado para acompanhar a crescente demanda dos consumidores. Como não havia soluções técnicas para a cadeia de fornecimento, esses gerentes precisavam ligar, enviar um texto ou enviar e-mails para dezenas de fornecedores por semana, apenas para manter um estoque suficiente. Para economizar tempo, os operadores de maconha precisam de ferramentas on-line fáceis de usar, inspiradas no comércio eletrônico do consumidor.

Agilizando o gerenciamento de pedidos para fornecedores
As vendas crescentes de maconha impactaram os fornecedores que tiveram que se adaptar a pedidos cada vez maiores vindos dos varejistas. O pedido médio de um fornecedor na plataforma Leaflink é de US$ 3.000 a US$ 4.000, com alguns pedidos totalizando mais de US$ 250.000. Isso é muito dinheiro para um novo produtor de cannabis.

Representantes de vendas das principais marcas de cannabis estavam começando a gastar um tempo excessivo gerenciando e cumprindo suas contas atuais de varejistas, impedindo-as de gerar novos negócios. Depois que os pedidos começaram a ocorrer on-line, os representantes encontraram mais tempo para se concentrar na venda e no crescimento de sua presença em mais lojas.

Marcas e distribuidores se beneficiam da plataforma de pedidos on-line, porque o mercado os mantém no radar dos varejistas e os capacita a preencher pedidos maiores e mais frequentes.

Complexidades fiscais e de conformidade
O alto volume de pedidos não é o único desafio para essa cadeia de suprimentos. Administrar a cadeia de fornecimento para uma operação de cannabis também requer uma quantidade significativa de tarefas de impostos e conformidade.

Qualquer software usado para gerenciar o inventário de maconha também deve levar em conta os meandros que acompanham o setor, incluindo as taxas fiscais dinâmicas, bem como os requisitos de rotulagem e testes de laboratório, que atualmente variam amplamente por estado e às vezes até por localidade. Gerir milhões de dólares em pedidos e ter que reportar todos os detalhes da transação, testar informações e muito mais para o estado deixa muito pouco espaço para erro no processo de gerenciamento da cadeia de suprimentos.

Fonte: Green Entrepreneur