“MINI AMAZON” DA CANNABIS É PRIMEIRO INVESTIMENTO DE FUNDO DE US$ 50 MI



“MINI AMAZON” DA CANNABIS É PRIMEIRO INVESTIMENTO DE FUNDO DE US$ 50 MI

“MINI AMAZON” DA CANNABIS É PRIMEIRO INVESTIMENTO DE FUNDO DE US$ 50 MI
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Um ex-sócio da Bain & Co. é o mais novo investidor a tentar tirar proveito do alarde em torno do canabidiol (CBD), um componente da cannabis que não causa torpor.

Jay Lucas, que trabalhou na consultoria com sede em Boston durante cerca de uma década nos anos 1980, lançou um fundo de US$ 50 milhões com foco em cosméticos e produtos de beleza derivados do cânhamo, um tipo de cannabis. O primeiro investimento do fundo foi na Standard Dose, uma marca e um website de comércio eletrônico que pretende ser uma “mini-Amazon” para o CBD, disse Lucas. “Queremos comandar o cruzamento da beleza com a cannabis”, disse. “Estamos fincando uma bandeira.”

Lucas, que fundou sua própria empresa de consultoria e estratégia após sair da Bain, disse que o novo fundo, LB Equity, está fazendo due diligence para mais cinco negócios e que empregará os US$ 50 milhões até o fim de 2019. Jim Morrison, ex-executivo da L’Oréal, entrou no fundo como sócio.

Depois que foi legalizado em nível federal nos EUA no fim de 2018, o cânhamo — uma planta intimamente ligada à maconha — vem despertando o interesse de investidores que buscam uma forma de capitalizar. Os proponentes afirmam que o CBD pode aliviar doenças como ansiedade, inflamação e dor. A substância vem aparecendo em cafés, coquetéis, alimentos e produtos de beleza.

O mercado para o CBD pode aumentar para mais de US$ 20 bilhões até 2022, possivelmente superando o da maconha legalizada, segundo a empresa de pesquisa sobre cannabis Brightfield Group.

Fonte: Exame