MUDANÇA EM LEGISLAÇÃO AMERICANA DEVE ATRAIR GRANDES INVESTIDORES PARA A CANNABIS



MUDANÇA EM LEGISLAÇÃO AMERICANA DEVE ATRAIR GRANDES INVESTIDORES PARA A CANNABIS

MUDANÇA EM LEGISLAÇÃO AMERICANA DEVE ATRAIR GRANDES INVESTIDORES PARA A CANNABIS
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Mercado potencialmente bilionário e ainda pouco explorado, a indústria da Cannabis chama a atenção de empreendedores e de grandes investidores nos Estados Unidos. No país, 33 estados permitem o uso medicinal da Cannabis, e dez, o uso recreativo para adultos.

A exploração das oportunidades ligadas à planta, no entanto, esbarram em intrincadas questões regulatórias, além dos conflitos políticos em torno do tema. Cada estado americano regulamenta o uso separadamente. Há, no entanto, um conflito com a lei federal, segundo a qual o uso e o porte de maconha são ilegais. É um setor em que as regras mudam o tempo todo.

Kevin Murphy, fundador da Acreage Holdings e ex-gestor de fundos de hedge, é um dos empresários que apostam no setor. “Eu me interessei pelo tema em 2011, por razões econômicas e por ver valor medicinal na Cannabis”, disse em painel no SXSW 2019. A partir de 2012, começou a investir em negócios do setor. Em 2014, formou a empresa de participações High Street Capital Partners, que em 2017 viraria Acreage Holdings. Hoje, tem negócios em 19 estados americanos.

“Queria estar em um setor em crescimento. Mas o potencial dessa indústria vai realmente aparecer quando a legislação mudar”, diz Murphy. Por causa da lei federal, as empresas americanas têm dificuldade para acessar crédito por meio de bancos e do mercado de capitais. “Eu gostaria de ter uma legislação tributária melhor e estar listado na Bolsa.”

Quem faz eco com ele é John Boehner, ex-deputado republicano que hoje faz parte do conselho da Acreage Holdings. “Eu conheci um veterano de guerra que tinha dores de cabeça e estava viciado em drogas. Com a Cannabis, suas dores acabaram”, diz ele. “Eu disse que me engajaria nesse debate. Muitos se chocaram, incluindo meus colegas na política. Mas não importa. Essa é uma indústria que vai crescer exponencialmente.”

Tanto Boehner quanto Murphy contam que tinham outra opinião sobre a Cannabis, mas ouviram mais lados da discussão e se “converteram”. “Eu não acreditava nisso. Mas tive a coragem de mudar minha opinião. Nós investimos nisso para que todos pudessem escolher usar ou não”, afirma Murphy.

Para Boehner, a legislação deve mudar na medida em que os políticos forem pressionados por seus eleitores e que as grandes empresas pressionarem para isso. “Indústrias como a de bebidas alcoólicas e de tabaco estão em queda. Elas esperam que esse se torne um produto legalizado para investir”, diz.

A plateia nem sempre recebe bem a argumentação de Boehner e Murphy – uma expectadora diz que eles só querem ganhar dinheiro. Outra pessoa chama a atenção para o tema da reforma criminal acerca das ofensas que envolvam maconha. “Os 33 estados que aprovaram o uso medicinal de Cannabis precisam lidar com as pessoas que foram presas no regime anterior. Não é justo”, afirma Boehner.

Fonte: Época Negócios