Cannabis é um bom negócio e tem muita gente surfando nessa onda por aí, em especial, quando o assunto está relacionado a prosperidade do cânhamo industrial. Em países onde existem usos legalizados, há empresas contabilizando lucros na casa dos milhões. Neste texto trazemos um exemplo: a HempFlax, organização europeia que está entre as maiores do mercado industrial de cânhamo – variação da cannabis com teor de tetrahidrocanabinol (THC) que varia de 0,2 a 0,3 e sem possibilidade de gerar efeito psicoativo.

Eles tiveram crescimento de 43% nas receitas em 2020, chegando a € 14,5 milhões. Já o EBITDA (Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization ou Lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) aumentou 63%, para € 1,8 milhões, com o lucro antes de impostos crescendo 616%, de € 92.000 em 2019, para € 659.000.

Em 2021, os resultados preliminares mostram continuidade neste crescimento. As vendas reportadas do primeiro trimestre de 2021 aumentaram 27% em relação ao ano passado.

Sediada na Holanda, a HempFlax se favorece das legislações avançadas em relação à cannabis, não apenas de seu país, mas de muitos outros da Europa, que já entendem o cânhamo como matéria-prima industrial valiosa.

A empresa foi fundada em 1993 por Ben Dronkers. O empreendedor queria trazer de volta os anos de glória do cânhamo, material com ampla presença na história da humanidade, responsável por inúmeras contribuições positivas ao longo dos séculos. Os primeiros registros do uso de suas fibras em tecidos, papel e outras finalidades datam dos tempos do Egito antigo.

Os produtos de Cânhamo para animais, são parte do portfólio da empresa HempFlax.

A prosperidade do cânhamo no Mercado de Cannabis

Hoje a HempFlax atua em seis segmentos, incluindo cultivo, canabidiol (CBD) para fins terapêuticos, plásticos de cânhamo, cuidado animal, aprimoramento genético e materiais de construção. Porém, o crescimento substancial nos últimos tempos se deu em alguns nichos específicos, tais como:

  • Materiais de construção 

    Há cerca de um ano, a HempFlax comprou a Thermo Natur, fabricante alemã de materiais de isolamento de fibra natural. Essa aquisição fez as vendas da HempFlax crescerem em dez vezes no segmento de materiais de construção. Em 2020, o salto foi de 1.089%, com produtos destinados principalmente às aplicações em construção residencial, com maior força no sul da Alemanha e Áustria. O isolamento produzido com fibra de cânhamo é mais eficiente do que seu concorrente mais comumente utilizado na Europa, composto de fibra de vidro, além de ser mais sustentável, consumindo menos energia e emitindo 25 vezes menos CO² por metro cúbico no processo produtivo

  • CBD

    As vendas de CBD da HempFlax cresceram 42% em 2020, concentradas nos produtos de marca própria da empresa e insumos fornecidos à Jacob Hooy, marca vendida por meio Holland & Barrett, rede de lojas de alimentos naturais no Reino Unido. O bom resultado, segundo a HempFlax destacou em comunicado recente, se deve à forte procura dos consumidores no cenário de pandemia, com muitas pessoas interessadas em garantir bem-estar e qualidade de vida.

  • Cânhamo hurd

    Cânhamo hurd é o núcleo interno do caule de cânhamo. Trata-se de um material lenhoso e com alto teor de celulose, usado para camas de animais e camas de gaiola. A HempFlax vendeu 7 mil toneladas de cânhamo hurd em 2020, sendo 80% deste volume para cama de animais, com alta de 14% em relação ao ano anterior. Novamente correlacionando com a pandemia, a empresa se beneficiou do fato de 3,2 milhões de famílias no Reino Unido terem adquirido um animal de estimação, desde o início da pandemia COVID-19, colaborando para este crescimento.

  • Automóveis

     A empresa produz fibras de cânhamo altamente refinadas, usadas pela indústria automobilística em substituição à fibra de vidro na fabricação de peças. As vendas deste nicho cresceram 12% no ano passado. A HempFlax fornece para montadoras como Bugatti e Porsche, sendo a única no mundo cujas fibras de cânhamo são certificadas pelos padrões da Certificação Internacional de Sustentabilidade e Carbono (ISCC, da sigla em inglês). Neste mercado, as fibras de cânhamo representam alternativa sustentável às fibras sintéticas, minerais e de madeira.

https://www.hempflax.com/

Mark Reinders, CEO da HempFlax

O cenário poderia ser melhor

Apesar dos resultados super positivos, Mark Reinders, CEO da HempFlax, destaca, mesmo na Europa, um cenário ainda de muita incerteza regulatória para os negócios baseados em cannabis.

“Isso foi alcançado em um cenário infeliz de incerteza regulatória – notadamente no setor de CBD, mas presente em toda a indústria de cânhamo industrial. Essa incerteza ameaça sufocar a inovação e a competitividade”, disse Reinders sobre o desempenho da HempFlax em 2020.

O CEO pontuou, em comunicado da empresa, a necessidade de que o Reino Unido e a União Europeia (UE) elevem os níveis máximos de THC no CBD para 0,3%. “Fazer isso facilitaria o cultivo de mais variedades e alinharia a estrutura regulatória europeia com a de outros países como os Estados Unidos”, disse.

O Parlamento Europeu votou, em outubro passado, para aumentar o nível autorizado de THC para plantas industriais de cânhamo de 0,2% para 0,3%. Porém, a mudança não deve entrar em vigor em toda a UE até 2023.

Prosperidade do cânhamo no futuro

Prosperidade é uma palavra que define bem o momento atual da HempFlax e da indústria do cânhamo como um todo. Pode melhorar? Sim, – como quase tudo na vida – e vai. Cada vez mais países se abrem para este mercado e deixam no passado a criminalização desta planta tão versátil e rentável. Em breve o Brasil também entrará nesse mar e pegará, com certeza, uma carona nesta onda.