Nesta segunda-feira, 29, o que demonstra ser o mais representativo estudo para avaliar os efeitos da cannabis aos transtornos do humor, foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos (CEPSH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A proposta é compreender o “impacto do óleo integral de ​Cannabis na saúde mental de profissionais da linha de frente no combate a COVID-19”, como indica o título da pesquisa, e envolverá 300 voluntários, entre médicos e enfermeiros que estão diretamente envolvidos no atendimento de casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus.

Os testes estão programados para começar em agosto e a produção do óleo será realizada pela Associação Brasileira de Apoio a Cannabis Esperança (ABRACE), na Paraíba. A associação também é responsável pelo cadastramento e seleção dos voluntários através do site.

Assim como a chegada do CBD às farmácias brasileiras, este é mais um passo dado para o uso medicinal da cannabis, tal como é mais um marco para novos investidores e empresários que apostam no setor. No Brasil, há um mercado potencial de R$ 4,7 bilhões por ano, nos cálculos feitos pela empresa de dados NewFrontier em parceria com a The Green Hub.

“O mercado no Brasil é totalmente embrionário, com restrições na questão regulatória. Por isso, investidores e empreendedores têm receio. O que sempre orientamos é traçar os caminhos que se enquadrem na legislação atual. E focar em mercados abertos como Canadá, Israel e Uruguai.”

Explica Marcelo Grecco, fundador e diretor de negócios da The Green Hub, em entrevista para o jornal O globo

Para saber mais sobre a relação entre os avanços do uso medicinal da cannabis e o mercado deste setor, acesse a matéria “Cannabis medicinal: depois da regulamentação, empresários apostam na criação de novos negócios“, do jornal O Globo. Lá, é possível conferir depoimentos do Marcelo Grecco e outros especialistas da área.