A gente adora falar sobre o mercado da indústria legal da cannabis e de como este setor é dinâmico. Os leitores do blog e aqueles que acompanham nosso trabalho em outros canais já sabem bem disso. O tema está sob holofotes no mundo todo e, a cada dia, surgem novos produtos, legislações e inovações. O potencial disruptivo é imenso e estamos sempre de olho para trazer as novidades – informação no mercado de cannabis é uma vantagem e tanto, e o primeiro passo para entrar neste universo de forma competitiva é estudar!

Os negócios de Cannabis já são uma realidade

Os negócios em torno da cannabis podem parecer pouco tangíveis no Brasil, mas constituem uma realidade bem consistente e crescente em outros países. A cannabis teve a segunda melhor performance do mercado de ações em 2020. Os títulos das empresas valorizaram 96,15% na bolsa norte-americana, perdendo apenas para o bitcoin, que rendeu 323%.

Só em novembro do ano passado, quando o democrata Joe Biden foi eleito, a rentabilidade mensal do primeiro fundo brasileiro a investir em ações do segmento, o Canabidiol FIA IE, da Vitreo, bateu os 33,3%. O fundo reúne ações de empresas dos Estados Unidos (EUA) e do Canadá e, em 2020, teve valorização acumulada anual de 69,12%. E se o ano passado foi bom, 2021 promete ser melhor ainda: até 1º de março o crescimento já chegava a 53,15%.

O Trend Cannabis FIM, da XP Investimentos, é a outra opção existente para brasileiros que pretendem investir no mercado de cannabis e também mostra números animadores. Em 28 de maio de 2021, o retorno do fundo nos últimos 12 meses estava em 52,09%.

pague cannabis

Expectativas positivas do mercado de cannabis 

Essa curva ascendente do mercado de cannabis tem forte influência do cenário político. Nos EUA, país onde está grande parte das empresas cujas ações estão disponíveis para investimento, a legalização acontece paulatinamente e, atualmente, mais da metade da população norte-americana já vive em territórios onde o uso medicinal está liberado. Lembramos que, por lá, a legislação é de competência de cada estado. Porém, desde a campanha eleitoral, Joe Biden e Kamala Harris prometem olhar para a questão e regulamentar ao nível federal.

As movimentações para concretizar a promessa têm acontecido. No mês passado, o projeto de lei conhecido como MORE Act (Marijuana Opportunity Reinvestment and Expungement Act) foi reintroduzido no congresso norte-americano, após a versão anterior não ter sido aprovada no senado. Em suma, o texto remove a cannabis da Lei de Substâncias Controladas (CSA, da sigla em inglês) federal. Diante do panorama político e econômico favoráveis, a legislação deve ser aprovada nos próximos meses, impulsionando de forma exponencial o mercado de cannabis nos EUA e, consequentemente, no mundo todo.

Outro projeto importante, que deve virar lei em breve, é o Safe Banking Act, decreto que prevê o uso de todos os serviços financeiros e bancários do país pelas empresas da indústria da cannabis – o que não é permitido atualmente.

Os consumidores não podem comprar cannabis no cartão de crédito e as empresas não podem pedir empréstimos bancários para crescerem. Claro que isso não as impede de tocar seus negócios, mas um projeto de lei que traga melhores condições financeiras tem tudo para alavancar o potencial gigantesco do mercado da cannabis.

 

cannabis mercado

Cannabis no Brasil

Em território nacional, se o seu foco é investir, por enquanto, o jeito é mandar dinheiro para o exterior. O Projeto de Lei 399/2015,  que regulamenta o uso e produção medicinal, foi aprovado por comissão especial na Câmara dos Deputados, mas tramita a passos morosos.

Recentemente foi apresentado por lá também o projeto 369/2021, tratando do uso da cannabis na medicina veterinária, segmento que representa mais um grande nicho de mercado. Porém, tendo em vista a lentidão nos processos das demais matérias relacionadas ao tema da cannabis, não há como se ter expectativa de celeridade neste caso.

Existem também iniciativas como a do Distrito Federal, que sancionou em abril deste ano a lei 6.839, incentivando a pesquisa do uso medicinal no território. Contudo, o modelo regulatório brasileiro requer iniciativas centralizadas e de âmbito nacional para existir segurança jurídica e um ecossistema saudável para o mercado de cannabis prosperar.

Quer estar um passo à frente no mercado de Cannabis?

No Brasil, o que já é possível fazer é se preparar – e nós da The Green Hub acreditamos muito nisso. Nossa principal dica é que você apareça sempre por aqui e fique ligado nas nossas redes sociais pra ficar por dentro do mercado! Como dissemos lá em cima, estamos atentos às novidades, tendências, regras e tudo o mais relacionado à cannabis, e sempre prontos para compartilhar.

Você pode também ficar por dentro do que já está acontecendo no mercado de cannabis no Brasil e nesse quesito as nossas startups também são uma ótima referência. Já aceleramos negócios focados em informação, pesquisa genética, tecnologias de cultivo e até uma Fintech. Acesse aqui para conhecer todas.

Por último, mas não menos importante, visite a nossa área de relatórios aqui no site. Lançamos recentemente a publicação Cannabis – Pesquisa, Inovação e Tendências de Mercado, documento que traça um amplo panorama do setor, olhando tanto para ciência, quanto para negócios.

Não há conservadorismo capaz de barrar por muito tempo a onda da legalização e, cedo ou tarde, ela chegará de vez ao Brasil. Assim como aqueles que foram visionários estão colhendo os lucros por terem investido em ações de empresas norte-americanas, canadenses e inglesas, entre outras, quem se antecipar vai surfar a onda do mercado de cannabis nacional.

Pesquisar, se informar e informar aos outros são ações primordiais para preparar o terreno e, futuramente, colher os frutos.