É possível trabalhar com cannabis no Brasil, sem infringir a lei? A resposta é: sim!

O mercado de cannabis é amplo e muitas de suas atividades podem acontecer aqui, de forma legal. Veja alguns exemplos:

Comunicação e conhecimento 

A informação é livre (ainda bem!). Existem websites dedicados a informar os brasileiros sobre a cannabis. São portais especializados em produzir conteúdos sobre legislação, uso medicinal, cenários internacionais e várias outras perspectivas do tema. Se você é profissional de comunicação, tecnologia da informação, webdesigner, designer e qualquer outra ocupação ligada a este universo, esta é uma forma de trabalhar com cannabis, sem nenhum risco de ilegalidade.

Existem também os influencers do tema. São pessoas que falam sobre cannabis nas suas mídias sociais e acabam se tornando referência. No Brasil há, por exemplo, médicos, veterinários e mães de crianças que fazem uso medicinal da planta. Eles prestam serviço informativo e, muitas vezes, são remunerados por propagandas em suas redes.

Mercado têxtil é uma boa opção

A fibra do cânhamo, variação da cannabis com baixos teores do elemento psicoativo da planta – tetrahidrocanabinol (THC) -, é utilizada na fabricação de tecidos há séculos. Ainda não é possível plantar por aqui, mas a importação dos tecidos e comercialização das peças fabricadas com ele é permitida.

Os tecidos à base de cânhamo são mais sustentáveis e têm boa aceitação entre consumidores brasileiros. Então, você pode trabalhar para marcas que investem nestas tramas, ou, quem sabe, até empreender criando sua própria marca.

Trabalhar com Cannabis no Agrobusiness

O agronegócio brasileiro representa algo em torno de 20% do nosso Produto Interno Bruto (PIB). No caso da cannabis, o grande potencial neste setor está ligado ao cânhamo, uma matéria-prima renovável, limpa e biodegradável, que atende às indústrias de alimentos, biocombustíveis, produção têxtil, farmacêutica e muitas outras.

Sabemos que plantar para comercialização, aqui, ainda não pode. Porém, é possível investir no desenvolvimento de soluções inovadoras para aumentar a eficiência do cultivo, extração e produção, uma vez que pesquisar está liberado desde 2006, quando foi publicada a lei 11.343 (Lei de Drogas). O texto prevê, no parágrafo único do art. 2º, a autorização do uso de plantas proscritas, incluindo a Cannabis, desde que para fins medicinais e científicos. Nestas situações, é preciso solicitar a liberação da Anvisa caso a caso.

Se seu interesse é nesta área, o potencial é imenso. As tecnologias podem ser exportadas e, depois, aproveitadas quando o cultivo for finalmente autorizado no Brasil.

AGROBUSIINESS

Mercado de cannabis medicinal no Brasil

O mercado de cannabis no Brasil está de portas abertas para quem é da área da saúde. Médicos já podem prescrever fármacos à base de cannabis, conforme regras estabelecidas pelas Resoluções da Diretoria Colegiada (RDCs) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) 327/2019 e 335/2020. Há muitos profissionais para quem essa prática é corriqueira. São elos importantes do mercado de cannabis, difundindo a medicina canabinoide entre a comunidade médica, bem como apoiando e realizando pesquisas no tema.

Muitos médicos veterinários também já receitam cannabis medicinal para seus pacientes. No caso deles, ainda há um vazio de regulamentação. O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) colaborou, no início de 2021, na elaboração do Projeto de Lei (PL) nº 369/2021, sobre o assunto, mas o texto ainda não foi votado. De toda forma, veterinários prescritores são também parte do mercado de cannabis no Brasil.

A busca pelo acesso aos medicamentos pode envolver também advogados, tornando estes profissionais parte da cadeia.

Como você pode empreender?

Quando um mercado está em fase embrionária, como o setor de cannabis no Brasil, existem inúmeras oportunidades para empreender de forma pioneira. Se essa veia existe em você, é hora de aproveitar.

Empresas nacionais e estrangeiras se preparam para explorar o mercado de cannabis e estarão prontas para dominá-lo quando a legalização vier – e ela virá!

Neste cenário, as possibilidades são variadas e você só precisa escolher uma área com a qual se identifique mais, traçar um plano e ir em frente.

Para quem está pensando no caso, vai uma dica: a The Green Hub está com chamada aberta para startups até 3 de julho. Saiba mais aqui.

Use o conhecimento do mercado internacional para trabalhar com cannabis  

Ainda na pegada empreendedora, outra possibilidade é trazer para o Brasil negócios que estão dando certo em países onde o mercado de cannabis está 100% legalizado. E aqui vai mais uma dica: a norte-americana Purely CBD, de Arlington (Texas), cujo portfólio inclui ampla variedade de produtos à base de cannabis, decidiu expandir suas lojas e abrir oportunidade para os brasileiros.

Em janeiro, eles lançaram um site em português para cadastro de empreendedores interessados em reservar praças para a abertura de suas lojas e sair na frente quando o mercado for legalizado. Você pode saber mais aqui.

Mande seu currículo para outros países 

Se você tem vontade de morar em outros países, pode unir o útil ao agradável, escolhendo como destino um local com mercado de cannabis legalizado. Aí é só atualizar o currículo e ir em busca de oportunidade. Segundo relatório da empresa Leafly, até janeiro de 2021, foram calculados 321 mil empregos relacionados à cannabis nos Estados Unidos.

Uma lista publicada pela Revista Forbes, em 2019, indicou as dez melhores cidades norte-americanas para conseguir emprego no mercado de cannabis. São elas:

  • Denver, Colorado
  • Los Angeles, Califórnia
  • São Francisco, Califórnia
  • Seattle, Washington
  • Portland, Oregon
  • Sacramento, Califórnia
  • Spokane, Washington
  • Miami, Flórida
  • Chicago, Illinois
  • Boston, Massachusetts

CANNABIS

Trabalhar com Cannabis: É estar um passo à frente 

Falamos de várias possibilidades, mas, com certeza, não de todas. O mercado de cannabis é disruptivo e tem altas doses de inovação. Isso significa que devem vir por aí negócios ainda nem imaginados.

Sem dúvida nenhuma, o segmento é promissor, capaz de movimentar recursos e gerar milhares de empregos em breve! Trabalhamos para isso aqui na The Green Hub e, assim, somos, também, parte do mercado de cannabis!